• damonile

Dia Mundial da Qualidade: Como e por que os produtos têm se tornado antivirais?


Tecnologia antiviral e o Dia Mundial da Qualidade

O Dia Mundial da Qualidade foi instituído pela ONU no ano de 1990, e comemora-se durante toda segunda quinta-feira de novembro.


É uma oportunidade ímpar para falarmos sobre a crescente preocupação do mercado com o ganho de qualidade dos seus produtos. No artigo de hoje, saiba mais sobre:


  • História da qualidade e sua importância;

  • O que significa qualidade hoje em dia?;

  • Preocupação com qualidade em tempos de crise;

  • Controle microbiológico como inovação em qualidade para diferentes setores;


História da qualidade e sua importância:


O desejo e a busca pela qualidade é uma característica que compõe o inconsciente da humanidade desde os primórdios da sua existência.


Isso fica claro quando avaliamos a durabilidade das obras de construção civil romanas, que mesmo com a tecnologia da época, surpreendem profissionais na área.


Ou até mesmo a perfeição que tange a construção das pirâmides do Egito, fruto de conceitos matemáticos complexos e precisos demais para a época.


Apesar disso, o conceito de qualidade como conhecemos hoje, é mais recente. Além disso, apresenta muitas similaridades com a atual conjuntura e tem influências diretas em todos os integrantes da cadeia produtiva.


Contexto histórico:


A história da qualidade por si só começa durante a Revolução Industrial, principalmente devido a institucionalização da produção em série e posterior inspeção de todos os processos.


No entanto, foi apenas durante a Segunda Guerra Mundial, que isso se tornou em uma preocupação verdadeira da indústria. Garantir a qualidade do material bélico produzido era uma prioridade, para minimizar defeitos nesses produtos, que foram bem comuns durante a primeira guerra.


Para garantir a equivalência entre os produtos produzidos e minimizar, dentro do possível, a incidência de defeitos, surgem medidas para ampliar a qualidade.


Essa preocupação não surge para ampliar apenas a qualidade de produtos ou processos específicos, mas conquistar aquilo que é chamado de Gestão de Qualidade Total.


Por mais que a preocupação com a Qualidade Total exista, para se conquistar ela, é necessário olhar as etapas de forma isolada.


O que significa qualidade hoje em dia?


Atualmente, preocupar-se com a qualidade do produto, especificamente, é essencial e contribui com a consolidação da corporação e satisfação do cliente.


Complicado mesmo, é buscar agradar a todo público da empresa com características específicas que representem a qualidade para um nicho particular.


Felizmente, existem alguns consensos entre produtores e compradores sobre o que significa, de fato, um produto com qualidade, veremos a seguir.


O que é qualidade de produto?


Traremos a seguir, alguns parâmetros que contribuem com a mensuração da qualidade de um produto. Esses parâmetros condicionam as prioridades das etapas de produção, além de impulsionarem os setores de inovação em produto.


  • Desempenho e performance: O produto executa com eficiência o objetivo para o qual foi desenvolvido;

  • Especificações ou diferenciais: Características ou propriedades que engrandecem o produto perante a concorrência;

  • Confiabilidade: Produto que não oferece grandes riscos de apresentar falhas;

  • Durabilidade: É um investimento durável ao consumidor;

  • Aparência: Não apenas a estética ou o design do produto, mas também a forma que o mercado enxerga a marca.


Essas características, são algumas diretrizes padrões, que normalmente seriam ouvidas se perguntássemos a qualquer pessoa o que é um produto com qualidade. Mas de onde vêm esses paradigmas que contornam o conceito de qualidade de produto?


A verdade é que esses parâmetros são constantemente redefinidos pelo contexto histórico e social em que se inserem.


Preocupação com qualidade em tempos de crise:


Como foi dito anteriormente, a preocupação com a qualidade como conhecemos hoje, de fato, passou a se consolidar a partir da Segunda Guerra Mundial.


Isso não significa que comportamentos similares com a preocupação com qualidade não existiam antes, mas sim que esses parâmetros foram reinventados por um tempo de crise. Algo parecido com o que acontece hoje!


Preocupação com o meio ambiente e seu impacto na qualidade:


Atualmente, é inegável que as mudanças climáticas e a grande quantidade de resíduos descartados de forma indevida impactam no nosso dia a dia.


Em um momento em que muito se fala sobre como os comportamentos humanos impactam a saúde do meio ambiente, diversos produtos tiveram que se reinventar nesse contexto.


Inovações voltadas para o ganho de durabilidade e conservação têm ganhado destaque em diversos setores.


Produtos que possibilitam uma maior conservação dos nossos bens, não são vantajosos apenas para o meio ambiente, mas também como diferencial competitivo para muitas empresas.


Isso acontece, pois a partir do reconhecimento dessa nova necessidade, o mercado consumidor passa a valorizar e buscar produtos alinhados com essas novas prioridades.


A pandemia da COVID-19 mudando os parâmetros de qualidade com controle microbiológico:


Outro fator determinante na mudança dos parâmetros de qualidade de produtos foi, inegavelmente, a pandemia que assolou o planeta durante os últimos dois anos.


Com a alta de um contágio por um vírus nocivo à saúde da humanidade, crescem os esforços para minar as formas de contágio e preservar a saúde das pessoas.


Todo esse contexto, fez crescer a preocupação das pessoas, sejam elas produtoras ou consumidoras, por aquilo que chamamos de controle microbiológico. Tal característica pode contribuir com fatores como ganho de segurança e conservação!


Controle microbiológico como inovação em qualidade para diferentes setores:


Já falamos que o atual contexto global mudou as prioridades de diferentes tipos de mercado. Mas, a seguir, traremos alguns exemplos de como o controle microbiológico foi capaz de mudar o conceito de diferentes produtos.


Esses casos mostram como uma abordagem disruptiva e uma percepção inovativa podem mudar o conceito do que é qualidade para o mercado.


Mercado de alimentos:


Para o setor de alimentos, a recente pauta que mais movimentou as novidades desse mercado, foi a preocupação com a redução de desperdícios.


Com isso, uma inovação que ganhou muito destaque para esse mercado foi o desenvolvimento de embalagens antimicrobianas, com respaldo para contato com alimentos.


Essa solução, contribuiu para solucionar diversos desafios de conservação e segurança para o mercado de embalagens.


Com o controle de microrganismos promovido por uma embalagem antimicrobiana é possível reduzir a degradação de materiais orgânicos e aumentar seu tempo de vida útil.


Construção civil e interiores:


Para minar aquilo que chamamos de contaminação cruzada ou indireta, o controle microbiológico também ganhou muito destaque em revestimentos e superfícies.


A possibilidade de transformar ambientes completos em antimicrobianas, contribui com um ganho de segurança para as pessoas além de atuar como um preservante para os revestimentos e superfícies.


Uma tecnologia que pode ir além em termos de qualidade, agregando propriedade antiviral em superfícies e ambientes completos.


Indústria têxtil:


Para o segmento têxtil, a possibilidade de aditivar um tecido com propriedade antimicrobiana, pôde tornar artigos têxteis antivirais, inativando o novo coronavírus.


Essa propriedade por si só, já foi um atrativo que possibilitou ganho de reconhecimento para muitas empresas, além de prezar pela saúde do consumidor final.


Mas não apenas isso!


Tais propriedades são responsáveis, também, por prevenir o mau odor e manchas comuns de uso em roupas e artigos têxteis. Diferenciais atrativos relacionados ao ganho de qualidade dos produtos desse segmento.


Utilidades gerais e outras aplicações:


Com a versatilidade de aplicações que a tecnologia antimicrobiana desenvolvida pela Nanox, pioneira no seu ramo, as possibilidades são enormes.


O setor de Utilidades Domésticas e Industriais, por exemplo, pode ser beneficiado pela tecnologia pelo controle de fungos em artigos que ficam em contato com umidade.


Ou então, aumentando a durabilidade de produtos de higiene, controlando a ação dos microrganismos ali presentes.


Mas não para por aí! A tecnologia de prata, desenvolvida a partir de conhecimentos em nanotecnologia, pode contribuir com ganho de qualidade em diversos produtos.


Mas tudo depende do perfil inovador de empresas parceiras ao investir em soluções fruto de pesquisa e desenvolvimento.


De fato, a atual crise sanitária se tornou um novo capítulo para o conceito de qualidade. São realidades tecnológicas que promovem um ganho de propriedade aos materiais, incluindo o plus de segurança às pessoas, que remete ao bem-estar.